quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Resenha do livro - Se eu Ficar

Primeira resenha do blog!

Título: Se eu ficar (if i stay)
Autor (a): Gayle Forman
Número de páginas: 224
Editora: Novo Conceito
Nota: 
 "Se vai ficar, ou vai partir, depende apenas de você" - Se eu ficar

Sinopse: A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais e não sente nada. 
Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas. 
Se ela ficar...


Minha opinião: Bom, eu simplesmente AMEI esse livro, a história envolvente, que te deixa com aquele nó na garganta e uma angústia querendo saber o que irá acontecer na próxima parte. Porém, uma coisa me irritou um pouco no livro, que é o fato o acidente de Mia acontecer bem no começo do livro, então ficamos sabendo de toda a sua história em forma de flashbacks, temos o contato com a família e amigos, durante todo o livro. Outra coisa que me chamou a atenção no livro, não sei se isso aconteceu com mais alguém que tenha lido, mas o fato de a família de Mia, vulgo seus avós, não ficarem tão desesperados tentando ver a neta me incomodou um pouco. Não sei, talvez  essa tenha sido a ideia que a autora quis passar, mas eu acho que avós "normal" ficaria muito mais preocupada com o estado de sua neta em coma do que foi relatado. 
Tirando tudo isso que eu citei acima, o livro é simplesmente lindo, me emocionei muito com ele. Lia cada página nervosamente, e essa é realmente a proposta do livro, fiquei apreensiva durante alguns momentos e suspirei em outros. A construção dos personagens foi muito bem feita e a autora tem uma escrita muito gostosa de ler, não é aquela escrita complicada, mas também não é uma escrita infantil, é na medida, isso juntado ao fato dos personagens serem muito bem construídos e muito bem trabalhados ao decorrer do livro fizeram com que o mesmo se tornasse um dos meus livros preferidos de todos os tempos. 
Quando Mia sofre o acidente e se vê fora de seu corpo ela começa a perceber sentimentos e coisas que achava banais para se importar, e quando ela vê os corpos das pessoas que ama jogados no chão, sentimos com ela. A autora nos passa o sentimento através das páginas. 
Mia fica perambulando pelo hospital onde foi internada a procura de notícias sobre seu irmãozinho Teddy e também tentando achar algo que a faça se decidir entre ficar ou partir.
O que me chamou muito a atenção nessa história foi a família de Mia, o pai era um antigo integrante de uma banda de rock, ele largou a banda para se dedicar mais à família e acabou descobrindo uma nova paixão, lecionar. A mãe de Mia era uma completa rebelde, totalmente louquinha de pedra, tem muito estilo e é muito amorosa com seus filhos, apesar de ser tão roqueira quanto o pai, depois que teve seus dois bebês ela acaba indo trabalhar em uma agência de turismo, e seu irmãozinho Teddy que tem apenas 8 anos divide o amor ao rock com os pais. Já Mia seria a ovelha "branca" da família, se formos considerar os moldes da sociedade. Ela é uma garota completamente na dela, ama estudar e acima de tudo ama tocar seu precioso violoncelo. 
Ela treinava violoncelo todos os dias na escola e foi quando ela chamou a atenção de Adam, que se apaixonou por seu jeito único e diferente de ser, então eles acabam saindo juntos e engatam um romance. Até aí eu particularmente não botava muita fé nesses dois não, mas ao passar da história acabei me apaixonando por esse casal.
Mia então fica indo e voltando em flashbacks ao decorrer do livro, lembrando momentos com sua família e seu namorado, uma das minhas cenas preferidas é quando eles fazem o churrasco no domingo a tarde e convidam Adam para participar, e eles acabam fazendo um mash up com os estilos de todos, a antiga banda do pai estava toda presente e com ajuda de Adam fizeram com que Mia tocasse violoncelo junto com eles, proporcionando uma sensação única.
Em determinado momento do livro, Adam acaba invadindo o hospital tentando desesperadamente invadir a UTI para poder ficar perto de Mia, então ele acaba convocando uma verdadeira força tarefa dentro do hospital e consegue ficar alguns segundos ao lado da amada, e isso desencadeia outros acontecimentos importantes no livro (se eu falar é spoiler). 
Por se tratar de um livro que contém suspense, não vou poder comentar sobre o final do livro. 

Considerações finais: Esse livro me trouxe muita reflexão sobre vários pontos, o principal deles foi o valor que damos para a nossa família e amigos. Eles são peças extremamente importantes na nossa vida e também outro ponto, é o fato de decidirmos o valor que damos a nossa vida, o que estaríamos dispostos a fazer por nós mesmos. Isso é para se pensar, mas não somente enquanto está lendo o livro, mas sim durante toda a vida. Minha nota para o livro é 4,5 (nume escala de 0 a 5). 

Por: Amanda B. Grippa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nós conte a sua opinião sobre o assunto :)