quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Resenha do Livro: A Escolhida

Exibindo RED.pngTítulo:A Escolhida
Autor (a): Amanda Ághata Costa
Número de páginas: 360
Editora: independente
Ano: 2015
Nota: 
Sinopse:Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota dispersa na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais desde a infância. Devido à sua aparente doçura e beleza, ninguém seria capaz de supor que, além de um anjo, ela também é um demônio com sede de poder. Os espertos deveriam manter-se distantes, mas há olhares que não deixam de admirá-la. Egran não desperdiçaria a chance de apoderar-se de habilidades tão interessantes: ela é a escolha perfeita. Entretanto, nem todos se sentem realizados. O círculo seria um refúgio ideal para os demais feiticeiros, se o próprio líder não os tratasse como marionetes descartáveis. Movidos pelo medo e controlados pelo mestre, os componentes do grupo obedecem, sem pestanejar, às ordens recebidas. Ao se ver arrastada para lá, Ari se encontra diante de situações improváveis, arriscando-se a expor mais do que gostaria. Para ela, sentir é algo que sempre esteve fora de seus limites. Não poderia vivenciar qualquer forma de emoção, esta era a promessa. Até que Luke surge em seu caminho e abala as estruturas congeladas, derretendo-as e modelando novos conceitos. O amor realmente fará brotar a alegria? Ou irá arrastá-la diretamente para a morte? O passado obscuro de Ari será o suficiente para fazê-la estilhaçar de uma vez por todas, não restando oportunidades para uma nova tentativa de se isolar do mundo.
Ariali é uma pessoa, ou melhor dizendo, um ser cruel e assassino . Ela não acredita que possa haver alguma parte boa dentro de seu corpo.  A historia começa a ser modificada quando é abordada por dois feiticeiros em um de seus dias rotineiros de caça.  Esses dois feiticeiros, Edlum e Luke, a levam ao circulo onde é colocada diante de Egram, o mestre.

É no círculo que Ari descobre muitas peças do quebra cabeça da sua vida. Já que estava presa ali dentro, descobrir mais sobre o passado e sobre si mesmo é uma forma de entretenimento.
Esse livro é muito gostoso de ler, o livro que quando começa você não quer parar nem para respirar. Não é uma leitura pesada, classifico como mediana (no sentido de facilidade de leitura). A trama é bem amarrada e a Amanda conseguiu evitar as temíveis pontas soltas em seu texto.

Acompanhar o crescimento emocional da personagem é um diferencial nesse livro. Estamos acostumados a levar em conta o crescimento total do personagem, mas aqui a autora tratou com mais cuidado a parte emocional. Além da Ari temos personagens secundários muito bem preparados e escritos e cada um tem o seu espaço na trama.

Não parece um livro nacional. Tem tantos elementos que chama atenção do leitor que em momento algum a leitura nos decepciona. Essa escrita disputa com varias autoras gringas de sucesso.
Em minha opinião é um gênero complicado de ser escrito, pois demanda muita pesquisa sobre cada elemento chave e cuidado, pois se não souber pesquisar e explicar cada coisa torna-se sem sentido. E a Amanda driblou essa dificuldade melhor que o Neymar jamais sonhou fazer em campo.
Recomento essa fantasia para todos, com um quê a mais por ser uma grande pérola brasileira.

Por:Carol Cadiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nós conte a sua opinião sobre o assunto :)