segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Resenha do Livro: A Profecia de Hedhen (Os Tronos da Luz Livro 1)

A Profecia de HedhenTítulo: A Profecia de Hedhen (Os Tronos da Luz Livro 1)
Autor (a): Cristina Aguiar
Número de páginas: 577
Editora: independente
Ano: 2012
Nota: 
Onde comprar: Amazon
Sinopse: A Profecia de Hedhen - Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada por todos os povos, espalhando sua sabedoria, justiça e paz. Mas as trevas, infelizmente, começaram a entrar naquele mundo e corromper os corações. Os Tronos foram enfraquecendo, e para manter a esperança eles criaram a Profecia, antes que sua luz fosse apagada de vez. A Profecia falava do retorno dos Tronos em dias futuros, onde este já seria dominado pelas trevas. Os três sinais dos “Luminares” estariam marcados nos corpos daqueles destinados a receber essa luz ancestral e poderosa. Dos três, um deveria assegurar o cumprimento dessa Profecia, sem se importar com as conseqüências; o outro deveria sacrificar a própria vida em troca da vitória; apenas um permaneceria oculto para sua própria segurança, pois em suas mãos repousaria o Cetro de Luz, símbolo dos antigos Tronos.
Será que essas três pessoas, portadoras dos poderosos sinais, teriam forças para lutar contra o mal e trazer de volta a sabedoria, justiça e paz dos dias antigos?
Opinião: Começamos com o nascimento as duas luminares Lua e estrela, Deborah e Jael respectivamente. A herdeira e a guardiã. Elas são criadas sabendo do seu papel para salvar a terra de Hedhen das trevas que se apossaram momentaneamente do que é direito dos luminares.  Como diz o nome há uma profecia dando um norte as duas. Parte da profecia está selada e só pode ser aberta quando a primeira parte for cumprida.
Devo alertar a todos que iram ler esse livro que é uma leitura intensa e densa. É muito gostosa de ler e flui muito bem, mas por ser rico em informações acaba tomando mais do nosso tempo para que possamos apreciar cada detalhe. São muitas aventuras em um único livro, isso torna-se prático para nós leitores, apesar de ser denso a autora soube colocar em um livro o que renderia dois e isso não fez a historia ficar pesada demais.
Como disse a autora nos bombardeia de detalhes a cada pagina do livro, eu gostos disso pois a historia fica completa sem lacunas para que duvidemos do rumo que a autora decide levar o livro.
Eu li apenas um Livro do Bernard Cornwell e tenho que dizer que a autora conseguiu elevar sua escrita a esse grande autor. Sei que é chato comparações, mas como esse caso é para o bem vale. A forma de escrita densa, mas muito satisfatória faz com que sejam muito parecidos, o que diferencia é o linguajar. Tio Cornwell usa uma linguagem mais robusta e da antiguidade, a Cristina usa termos do gênero mais de forma atual que torna a leitura mais fácil.
Preciso falar o quanto ela é cruel. Eu imaginava o que ia acontecer (e aconteceu), mas quanto mais me aproximava dos últimos capítulos não quis acreditar que a Cristina ia ser tão cruel com nós, pobre leitores. Chorei muito com esse fato, que por sinal vou deixar vocês curiosos para ler o livro por que apesar de toda essa crueldade é incrível. Não deixei de me surpreender a cada novo capitulo lido.



Por: Carol Cadiz


Um comentário:

  1. Amei sua resenha e me sinto honrada com a comparação. Obrigada! Espero que o segundo livro continue a te surpreender.

    ResponderExcluir

Nós conte a sua opinião sobre o assunto :)