quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Resenha do livro: A Culpa é das Estrelas

A Culpa é das EstrelasTítulo: A Culpa é das Estrelas
Autor (a): John Green
Número de páginas: 288
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Nota: 
Sinopse: A Culpa é das Estrelas - A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.
Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.
Opinião: Eu vi o filme antes de ler o e livro e acho que isso me ajudou, eu sei um caso raro, a ler o livro.
 Eu detesto modinha, e como todos já ouviram e falaram sobre esse livro, não vou fazer um resumo aqui, eu esperei para ler. Fiquei curiosa sim, mas esperei o filme. Me surpreendi com a historia e quis ler o livro.
E li. E me apaixonei. Não é a primeira coisa do John Green que leio e ele me surpreendeu. Em "Cidades de papel" achei bem mais ou menos a sua escrita, pois como falei na resenha terminei o livro como comecei. Não fez diferença nenhuma na minha vida.
Agora em ACEDE consegui ver sua escrita simples se misturar com a historia razoavelmente pesada e tornar tudo leve e conectado. Ele traz um assunto delicado e o transforma.
O assunto aqui não é o câncer e sim uma menina que tem câncer que vive apesar da doença. Ele mostra que apensar da doença é possível ter uma vida, estudar, namorar.
Hazel faz duas amizades Isaque e Gus e isso basta para que sua vida se torne normal para pessoas com câncer. O fato de eles conhecerem, mesmo que de formas diferentes, as consequências do câncer os liga a vontade de viver.
O impressionante é que ele retrata como uma “banalidade”. Leva humor as falas de Hazel Grace referentes à doença.
Apesar de ter adorado esse livro ainda me arrisco a ter uma duvida do jeito John Green de escrever. Pretendo ler ”Quem é você Alaska?” para ter uma margem se sua escrita vale a pena. E também por que pelo que andei vendo a galera considera esse o melhor livro dele.

 Por: Carol Cadiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nós conte a sua opinião sobre o assunto :)