quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Resenha do livro: A Esposa do Conde

Título: A Esposa do Conde
Autor (a): Lilith Al
Número de páginas: 222
Ano: 2015
Nota: 
Onde comprar: Amazon
Sinopse: Margareth Sinclair é filha de um importante lorde da Inglaterra Vitoriana. Uma jovem de 20 anos que é obrigada a se casar com um conde arrogante e muito rico.
Mas o Conde Hugh Ruthenford, de Surrey, esconde muito mais do que sua aparência selvagem demonstra. Um terrível segredo que impulsiona suas ações, inclusive sua decisão de casar-se com a jovem e impetuosa filha do Lorde.
O casamento é apenas o primeiro de muitos desafios que os dois enfrentarão, pois além de aprender a lidar com os defeitos e a sede sexual um do outro, terão de unir forças contra inimigos poderosos.
Conteúdo Adulto: Recomendado para maiores de 18 anos!

Margareth é uma moça muito determinada e com uma pitada de rebeldia que se torna bem vista aos olhos do conde Hugh. O conde é visto como arrogante rico e dono de uma aparência selvagem.
Como fazer dar certo um casamento que além de ser desejado por apenas uma das partes, a do conde, e com intenções inusitadas por conta desta parte, tem como principio duas mentes terrivelmente poderosas e tempestuosas?
Os primeiros dias são um inferno tanto para o conde, como para a mais nova condessa de Surrey. Ele quer consumar seu casamento, mas a condessa tem medo do desconhecido. Tendo como base a seguinte frase de sua mãe: “deite, feche os olhos e deixe que ele faça o que tem que fazer”.  Ela não se conforma com a ideia de ter que aceitar seu corpo ser submetido às vontades do marido.
Hugh precisa de alguém do seu lado que seja seu bibelô e que ao mesmo tempo ajude a melhorar sua imagem diante a corte dos lordes de Londres. Ele tem planos grandiosos com base em fatos relacionados à sua família.
Quando bati olho nessa capa já fiquei morrendo de vontade de ler. Eu amo romances de época.  Todas as convenções sociais, os vestidos gigantes, os bailes, o relacionamento senhora/criada.
Essa autora iniciante tem uma forma fruída e marcante em sua escrita. Eu tenho paixão incondicional por autoras que sabem exatamente o que estão fazendo e não se perdem no meio da escrita.
Desde o começo já temos a noção de que Hugh tem objetivo secreto e que ele concentra todas as suas forças em direção a esse objetivo, mas só chegamos a descobrir depois da metade do livro. A autora deixou esse suspense no ar para que o foco seja direcionado a relação conturbada que o casal tem que driblar, para que na segunda parte o problema seja o astro.
O interessante aqui é a forma que ela usou para não ser só mais uma historia de amor entre um nobre selvagem e uma mocinha rebelde. Tem explicações bem fundadas sobre os acontecimentos e sobre as decisões que cada personagem tem que tomar ao longo das paginas.
E o mocinho nem sempre é o mocinho. Esses personagens de fracos só tem os fios de cabelo.  Ela soube criar duas personalidades distintas e ao mesmo tempo muito parecidas, que em um minuto são apenas dois amantes se deliciando da presença um do outro e no minuto seguinte, os grande “vilões” da historia.
Tem cenas de sexo? Sim, é um livro erótico. Mas não é o tipo de livro que se baseia apenas nisso. Todas as cenas de sexo foram bem escritas e tem cabimento no contexto geral da historia.

Por: Carol Cadiz

Um comentário:

  1. Uau, nossa. Que dizer de uma resenha que simplesmente me acertou com a força de um vendaval? Sim, me senti envolvida em um tornado, balançada e emocionada. Amei cada palavra, cada trecho que mostrou como você lê, analisa, aprofunda os personagens e a trama. Fiquei muito feliz com tudo e espero que em breve possamos compartilhar de novas leituras e outras resenhas de mexer com as estruturas.
    Obrigada e beijo grande!

    ResponderExcluir

Nós conte a sua opinião sobre o assunto :)