quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Resenha do Livro: O segredo de Emma Corrigan

O Segredo de Emma CorriganTítulo: O segredo de Emma Corrigan
Autor (a): Shopie Kinsella
Número de páginas: 384
Ano: 2005
Nota: 
Onde comprar:Amazon
Sinopse: Em O Segredo de Emma Corrigan , Sophie Kinsella segue a receita que fez da série Os delírios de consumo de Becky Bloom sucesso de público - foram mais de 35 mil exemplares vendidos só no Brasil - e crítica. Com humor e muito charme, ela nos apresenta a Emma, uma inglesa perto dos 30 anos, mas longe de uma definição na vida. Na memória ela guarda situações ultraconfidenciais: como perdeu a virgindade enquanto os pais assistiam Ben-Hur na sala de TV, o que pensa sobre o namorado, as peças que prega nos colegas de escritório, seu peso real.
Funcionária Júnior da Panther Corporation, uma empresa de produtos energéticos e esportivos com filiais por toda Grã-Bretanha, Emma vai a Glascow participar da reunião de marketing sobre um novo refrigerante, a Panther Cola. O que parecia uma grande oportunidade profissional se transforma num pesadelo. Como se não bastasse ter derramado a bebida num superior, seu vôo de volta para casa quase cai. Em momentos de tensão as pessoas fazem as coisas mais estranhas. E Emma Corrigan não é exceção. Acreditando estar a um passo de uma morte trágica, ela conta todos os seus pequenos pecados para o passageiro ao lado. Afinal, qual a probabilidade de vê-lo de novo? Ainda mais com vida?
Mas o destino decide brincar com a protagonista: o avião pousa em segurança e o distinto cavalheiro nada mais é que o fundador e presidente da empresa onde trabalha. E além dos segredos pessoais, Emma abriu o verbo sobre todos os colegas da Panther e suas estratégias para enrolar no serviço. Para recuperar o respeito profissional - e voltar às boas com o pessoal do escritório - Emma se mete nas situações mais inusitadas, quase novelísticas. Mas com as quais todas as mulheres acabam se identificando.


Opinião: Emma é uma mulher que não prospera nas carreiras que se propõe a fazer e se sente intimida por ter uma prima mais velha que passou a morar em sua casa depois da morte dos pais, que tudo que faz na vida da certo e é a queridinha da família.
Atualmente ela estra trabalhando em uma multinacional no setor de marketing, como auxiliar. E foi enviada pela empresa apenas para acertar os últimos detalhes de um grande contrato. Seu pensamento é de que fechando esse contrato será promovida a executiva de marketing. Uma pena que dá tudo errado e ela vai para o avião com destino a sua cidade com o rabinho entre as pernas.
O que era para ser uma viagem tranquila com seus pensamentos destrutivos de como arruinou tudo mais uma vez, se tornou o maior pesadelo de sua vida. O voo foi repleto de turbulências, seu medo de avião a faz achar que vai morrer e começa a falar, ou melhor a jorrar, todos os seus segredos. Segredos que ela nem fazia ideia de que guardava para o homem com sotaque americano na poltrona ao lado da sua.
Em terra firme ele sente um misto de alivio e apreensão por estar viva e por ter contato tudo a seu respeito a um estranho. Mas logo passa, afinal é só um estranho qualquer que ela nunca vai ver novamente não é? Errado! No dia seguinte ela da de cara com a única pessoa que a conhece de verdade no trabalho, e o pior de tudo é que e um executivo do mais alto escalão da empresa.
Shopie Kinsella nos presenteia com mais um grande chik-lit com belas situações de vergonha alheia. Esse é o segundo livro que leio dessa autora e tenho que dizer que me surpreendo com a forma que ela trata a vergonha. São momentos terrivelmente embaraçosos que se fosse comigo ia me esconder no meu quarto e nunca mais sair. Mas suas personagens não são assim. São mulheres fortes, um pouco doidinhas, mas fortes que procuram uma forma de contornar toda situação estranha.
Força feminina que a autora passa é surpreendente. Ao ler seus livros imaginamos ser impossível de alguma dessas situações serem reais, mas no fundo temos medo, pois são muito vergonhas até para quem está de fora e sabemos que pode sim acontecer na vida real.
A forma fluida como a autora escreve acaba por nós deixar flutuando. Seus livros não costumam ser pequenos, mas mesmo assim são ótimos para intercalar com leituras mais densas para relaxar. É o tipo de livro que devoramos e quando mesmos esperamos já chegaram ao fim. Meu estilo preferido de livro.

Por: Carol Cadiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nós conte a sua opinião sobre o assunto :)